Com essas trincas e rachaduras, minha casa corre risco de desabamento?

Minha casa tem mais de 30 anos, sem nenhum reparo. Recentemente fiz ampliação de um cômodo, sem nenhum abalo aparente. Porém algumas trincas surgiram e outras aumentaram, mas sem nenhum comprometimento de piso, portas ou janelas. Estão em todos os cômodos da parte final da casa, onde o alicerce é mais baixo. Devo me preocupar, existe risco de desabamento?

Com essas trincas e rachaduras, minha casa corre risco de desabamento?

Minha casa tem mais de 30 anos, sem nenhum reparo. Recentemente fiz ampliação de um cômodo, sem nenhum abalo aparente. Porém algumas trincas surgiram e outras aumentaram, mas sem nenhum comprometimento de piso, portas ou janelas. Estão em todos os cômodos da parte final da casa, onde o alicerce é mais baixo. Devo me preocupar, existe risco de desabamento?

5 fotos
Você tem alguma pergunta?
Pergunte à comunidade

3 Respostas

Expedito Reginaldo Generoso
EXpeed Engenharia e Construção (Sorocaba, São Paulo) EXpeed Engenharia e Construção - há 15 dias

Analisar fissuras na parede envolve alguns passos básicos para entender a causa e determinar a gravidade do problema. Aqui estão algumas orientações:

1. Observação visual: Primeiramente, examine as fissuras de perto. Observe a extensão, a largura, a profundidade e se há padrões específicos (como horizontais, verticais, em forma de teia de aranha, etc.).

2. Localização: Verifique onde as fissuras estão localizadas na parede. Elas estão próximas das portas e janelas? Nas áreas onde duas paredes se encontram? Isso pode indicar diferentes causas, como assentamento do solo, movimentação estrutural, ou mesmo problemas na fundação.

3. Medição das fissuras: Use uma régua para medir a largura das fissuras. Anote essas medidas, pois elas ajudarão a determinar se as fissuras estão aumentando ao longo do tempo.

4. Causas potenciais: Considere as possíveis causas das fissuras. Elas podem ser resultado de assentamento natural da casa, movimentação estrutural, vazamentos de água, problemas na fundação, variações climáticas extremas, entre outros.

5. Profundidade e extensão: Verifique se as fissuras são superficiais ou se penetram profundamente na estrutura da parede. Fissuras profundas podem indicar problemas mais sérios.

6. Consulte um especialista: Se as fissuras forem significativas, estiverem aumentando rapidamente ou se houver dúvidas sobre a causa, é aconselhável consultar um engenheiro civil ou um profissional especializado em estruturas. Eles podem realizar uma avaliação detalhada e fornecer recomendações específicas para reparo.

7. Registro fotográfico: Tire fotos das fissuras para documentar sua condição atual. Isso pode ser útil para comparação futura e para mostrar aos profissionais em uma consulta.

Em resumo, ao analisar fissuras na parede, é importante não apenas observar sua aparência, mas também entender as possíveis causas subjacentes e determinar se é necessária uma intervenção profissional para corrigir o problema adequadamente.

Identificar fissuras em função de sua geometria pode fornecer pistas importantes sobre as causas subjacentes. Aqui estão algumas características comuns de fissuras e o que elas podem indicar:

1. Fissuras verticais: Geralmente são causadas por assentamento normal da casa ao longo do tempo. Se forem finas e uniformes, podem ser menos preocupantes. No entanto, se forem largas ou acompanhadas por outras fissuras, pode indicar problemas estruturais mais sérios.

2. Fissuras horizontais: São mais sérias e podem indicar pressão lateral significativa, como do solo contra a parede. Podem ser causadas por problemas na fundação, aumento da pressão hidrostática (água), ou movimentação do solo.

3. Fissuras em forma de escada ou em zigue-zague: Podem indicar movimentação diferencial entre diferentes partes da estrutura. Isso pode ocorrer devido a movimentos de fundação, assentamento desigual do solo, ou tensões estruturais.

4. Fissuras em forma de teia de aranha: São frequentemente superficiais e podem ser causadas por retração do material de acabamento, como gesso ou tinta, devido a variações de temperatura e umidade.

5. Fissuras em forma de "L" ou em cunha: Podem indicar problemas de contração e expansão devido à variação de umidade ou à presença de materiais diferentes na construção.

6. Fissuras em cruz: Geralmente são mais preocupantes, pois podem indicar movimento estrutural significativo ou problemas sérios na fundação.

Além da forma da fissura, outros fatores a serem considerados incluem a largura, profundidade e localização das fissuras na parede. É importante documentar todas essas características ao analisar as fissuras, pois isso ajudará a determinar a causa subjacente e a melhor abordagem para reparo.

Se as fissuras forem extensas, estiverem se expandindo rapidamente ou se você tiver dúvidas sobre sua origem, é aconselhável consultar um profissional qualificado, como um engenheiro civil ou um especialista em estruturas, para uma avaliação mais detalhada e recomendações específicas de reparo.

Responder
RONALDO GONCALVES
B.D.M. Engenharia e Comércio Ltda (São Paulo Zona Sul, São Paulo) B.D.M. Engenharia e Comércio Ltda - há 20 dias

Marilia, aparentemente por essa foto que voce enviou não ha motivo de preocupação, mas é necessario se fazer uma analise um pouco mais aprofundada para podermos ver a extensão dessas trincas, onde começam e onde acabam, se aparecem dos 2 lados da parede, etc

Responder
Deixe sua resposta

Você deve estar cadastrado para responder as perguntas. Está proibido incluir telefones, e-mails ou links de sites externos. Sua resposta será revisada e excluída caso não cumpra a regra.

Cadastre-se

Você é um profissional?

Fale com pessoas que estão procurando profissionais qualificados em obras, instalações, mudanças, etc.